Empoderamento feminino

Verde e laranja

Naquele reino, havia uma rainha doce, gentil e extremamente inteligente; embora fosse vista como cruel por muitos, mas não por seus súditos. Todos sabiam como o local crescia próspero e forte. A qualidade de vida era boa e tudo era pacífico, até mesmo as terras conquistadas mantinham uma relação consideravelmente melhor com Virídia do que se era de costume. Ah, o costume! O motivo pelo qual tantos outros reinos pensavam que a terra de mares verdes como esmeraldas era amaldiçoada.

Não era costume uma mulher governar, e isso incomodava a realeza de outras nações. O que esses líderes jamais admitiriam, era que estavam tomados pela cólera causada pela inveja. Se perguntavam como ela conseguia reger de forma tão excelente, algo inaceitável aos olhos dos mesmos. Juntos, espalharam mentiras sobre a majestade, transformando-a em bruxa para os seus. O mais forte deles, Aurastor que gorvenava Aurantiacam, estava completamente cego de orgulho. Jamais passara por sua cabeça oca e coroada que talvez um dia pudesse precisar de ajuda do “Reino das Trevas”. Até que esse dia chegou.

Afetado pela perca de grande parte de seus minérios, ele fora largado por seus maiores aliados e o reino entrou em declínio. Ao pedir ajuda dos outros foi feito de chacota, humilhado e excluído. Afinal, era bom para os outros senhores que o império das pedras de fogo caísse, significava que tinham um concorrente a menos. “Peça ajuda para a bruxa”, foi o que lhe disseram em tom de deboche. Então, uma ideia louca passou por sua cabeça: ele realmente poderia pedir ajuda de Virídia, acreditava que mulheres são tão ingênuas que, se ele desenvolvesse um pouco mais seu plano, poderia ter todo o reino para si. Pedir o apoio de lá foi a melhor decisão que conseguiu tomar, embora as coisas não fossem sair exatamente como ele queria.

Seus conselheiros acharam a ideia um completo absurdo, era como admitir que ela era melhor, todavia, ouviram o rei e mandaram cinco representantes ao litoral. Quando estes voltaram, informaram que Aurastor deveria ir pois a rainha conversaria apenas com ele. Sendo obrigado, assim o fez. Após dias, ele chegou ao seu destino.

O caminho até o castelo foi cheio de surpresas. Apesar de saber que os boatos não eram verdade, ele não imaginava que Virídia era tão magnífica. As cores predominantes eram branco e verde que se mostravam tanto na arquitetura quanto nas diversas plantas que se via, havia um grande mercado com os mais variados e frescos alimentos e comércios que prestavam todo tipo de serviço. As pessoas usavam roupas de cores claras, suas feições eram alegres e todos eram cordiais e hospitaleiros. Sua ganância e desejo aumentaram, a cada instante que passava ele queria mais e mais aquelas terras para si.

Chegando no castelo, ele e seus companheiros atravessaram um lindo jardim com fontes onde pássaros se banhavam e o reflexo da luz criava belos arco-íris. No salão, a rainha já os esperava em seu trono dourado. Aurastor os apresentou:

-Sou Aurastor, rei de Aurantiacam. Esses são meus companheiros de viagem. Vim me apresentar conforme desejou, majestade- finalizou com uma breve reverência.

-O que desejas?- sua voz saía alta o suficiente para todos ouvirem, sem embargo, era calma e serena.

-Gostaria de sua ajuda, senhora. Meu reino foi saqueado pelos covardes das montanhas, preciso de reforço militar para reconquistar o que é meu- a mulher sorriu como se fosse uma ideia boba. Apenas agora que o soberano tinha reparado na mesma. Seus olhos eram verdes como as pedras que enfeitavam sua coroa e como o tecido que fazia seu vestido, o rosto era salpicado de sardas e seu cabelo caía por seus ombros como uma cascata de cobre. Sua postura era séria, porém a mão direita levantada dando apoio a cabeça e o sorriso brincalhão da mesma apareceram após ouvir o homem.

-O senhor já parte para a guerra?- disse com o tom brincalhão, como se debochasse com gentileza- tenho pena de seus homens. Como se comunica com eles se não sabe conversar? Nem sempre a solução vem com a violência.

-Me desculpe, senhora, mas não creio que eles me devolverão o que roubaram de mim.

-E aquilo era realmente seu? Todo aquele ouro, aquela prata, até suas famosas pedras de fogo, eram realmente suas?

-Não entendo o que quer dizer- disse, já não estava gostando de onde aquilo iria chegar- sou apenas um rei preocupado com seu povo, você sabe quem eu sou. Já me apresentei- ela deu uma risadinha baixa.

-É verdade- concordou, e então desviou os olhos para o teto abobadado- mesmo que seja pacialmente verdade. Bem, ainda não me apresentei. Sou Ginevra. Agora, responda minha pergunta.

Relutante, ele respondeu:

-Não, senhora. São do meu povo.

-Muito nobre de sua parte. Você quer o tesouro do seu povo porque se importa com ele, é o que diz. E precisa de minha ajuda para isso. Eu estou disposta a lhe conceder a mesma, desde que me prometa que vai confiar em mim e meus homens.

Depois de assinar uma papelada de documentos para garantir que sua palavra era verdadeira, ele foi levado por Ginevra para uma sala com diversos livros onde os coselheiros de Virídia e eles conversariam sobre o que fazer com relação a situação de Aurastor. Optaram por tentar conversar com os mesmos e foi o que tentaram. Resultou em dois diplomatas feridos, um de viridiense e outro aurantiano. Não repetiram a dose, planejaram de forma detalhista o ataque ao Forte da Montanha.

Houve uma breve batalha, quando perceberam que logo iriam perder, os homens da montanha logo devolveram o que pegaram e se renderam. Ginevra não teria como saber, mas essa não seria a pior parte do dia.

Na volta para Virídia, Aurastor atraiu a rainha para longe e se voltou contra ela. Ela estava decepcionada, desapontada. Ele achava engraçado e falou:

-”O senhor já parte para a guerra?” Haha! Mulheres são realmente tolas, nunca deveriam ter deixado um reino inteiro sob seu controle. Agora, ele pertencerá a mim. Quanto a você, tem duas opções: se renda e eu a deixarei viver, tente lutar e eu a matarei. Direi ao povo qualquer mentira, eles são burros como você e acreditarão.

-Não sou tola por acreditar em você, sou humana. Meu povo foi gentil e amistoso ao acolher sua causa, mas sua ambição será sua ruína. Lute comigo se tiver honra, garanto que irá implorar por sua vida.

E assim travaram uma luta de espadas com muitos golpes e cortes. Ele estava em uma situação horrível, estava claro que ela o derrotaria. Todavia, ele jamais perdera para um homem e sua derrota com certeza não seria causada por uma mulher. Não desistiria enquanto ela não estivesse morta.

Ela já estava se cansado e ele percebia isso, momento propício para dar seu golpe final. Ela no entanto foi mais rápida, bateu em seu braço mandando aquela espada para longe. Ela o imobilizou rapidamente.

-Admita sua derrota, peça desculpas e eu lhe deixarei ir.

-Nem morto!- ele gritou e, com um movimento rápido, inverteu as posições. O grito no entanto atraiu atenção dos guardas viridienses que, ao ver a cena, desarmaram os aurantianos e começaram a jogar o tesouro de cima da montanha.

Aurastor ficou irado, mais cego pela fúria do que já era antes. As moedas refletidas na luz do sol poentes eram hipnotizantes e, em um impulso de loucura, ele pulou para junto do ouro. Assim, concretizou o que Ginevra dissera.

O episódio foi narrado muitas e muitas vezes posteriormente. A história do rei que fora morto por sua ganância virou lenda, sendo contada para as crianças antes de dormir. Aurantiacam se tornou parte de Virídia, que fez o reino crescer ainda mais. Ginevra continuou sendo a grande líder para seu povo, governando sempre no caminho da justiça e da sabedoria.

Texto escrito pela aluna: V.B.C.M. 9.B

Sobre elianedmelo2

Professora de Língua Portuguesa com mestrado em Ciências da Educação. Nascida em 7 de julho, em Campos dos Goytacazes,Rio de Janeiro. Atualmente, morando em Roraima.Diretora do CEFORR ( Centro Estadual de Formação dos profissionais da Educação) em 2015, 2016,2017, Consultora técnica da UNIVIRR ( Universidade Virtual de Roraima) em 2017 e 2018. Atualmente, professora de língua portuguesa no Colégio Militar Estadual Cel. PM Derly Luiz Vieira Borges.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

20 respostas para Empoderamento feminino

  1. eduardaleal disse:

    Eu gostei muito! O que mais me encantou foi a forma como a autora descreveu os reinos e os personagens, e principalmente, Virídia. A história representa muito bem a realidade, onde sempre duvidam da capacidade e força das mulheres, vistas como ingênuas. Sendo que, podemos fazer até melhor que os homens.

    Eduarda Leal Carvalho – 9 ano A

  2. thaylla Sousa Franco disse:

    Gostei muito do texto, a história é muito boa a realidade das mulheres que sempre duvidam de nós mulheres.

  3. Gostei muito da história, a história é muito boa a realidade das mulheres que sempre duvidam de nós mulheres.

  4. thayllafranco33gmailcom disse:

    Gostei muito da história, a história é muito boa pois falar sobre a realidade das mulheres.

  5. thayllafranco33gmailcom disse:

    Gostei muito do texto, a história é muito boa pois falar sobre o que nós mulheres passamos

  6. thayllafranco33gmailcom disse:

    Gostei muito da história, a história é muito boa a realidade das mulheres que as mulheres passam todos os dias.
    Aluna: Thaylla Sousa Franco-6 ano D

  7. thayllafranco disse:

    Gostei muito do texto, a história é muito boa a realidade das mulheres que sempre duvidam de nós mulheres.
    aluna: Thaylla Sousa Franco- 6º ano D

  8. Laís Galvão disse:

    Título: Verde e laranja (Empoderamento Feminino)
    O texto traz uma grande reflexão, e nos mostra como as mulheres são subestimadas e tratadas muitas vezes com inferioridade. A crítica é muito boa, a história lida com ela muito bem, e tem um cenário (realeza e conflitos) para mim, atrativo.
    Gênero textual: Conto (Contemporâneo)
    Laís Clara Cunha Galvão Rosas 9°D

  9. Poliana Almeida De Souza disse:

    1° Verde e laranja
    2° Achei a história um tanto cativante e muito interessante.
    3° História (empoderamento feminino)
    4° Poliana Almeida De Souza 9° ano B

  10. Amanda Veras 7°C disse:

    EMPODERAMENTO FEMININO
    É perceptível neste texto, a aparição da representatividade da realidade de nós mulheres. Mas o interessante mesmo, é a determinação, garra e força da rainha mesmo perante toda a inveja e pensamentos negativos em relação ao seu reinado e seu sucesso. Ela se manteve sempre de cabeça erguida e brilhou muito! Admiro muito a estória e a mensagem!
    Gênero textual: Conto.
    Aluna: Amanda Veras
    Série/turma: 7°C

  11. Informações sobre o Texto:
    Título: Verde e Laranja
    Gênero do Texto: Conto
    Aluna: Ana Luiza Collyer Cunha – 6° ano B
    Um texto totalmente mágico, com uma reflexão que precisa ser feita hoje em dia. Apesar de ter melhorado comparando com antigamente, infelizmente as mulheres ainda são muito subestimada e ditas como impossíveis de conseguirem fazer algumas coisas, porque, de acordo com alguns homens, são “frágeis, ingênuas e tolas demais”.
    Fiquei encantada e apaixonada por esse texto! E além de abordar esse assunto com um crítica tão boa, a forma que descreve as características dos locais e dos personagens é tão mágica que conseguimos imaginar esse mundo de uma forma tão magnífica!

  12. jadson disse:

    Título: Verde e laranja (Empoderamento Feminino)
    achei o texto espetacular, a historia é desenvolvida de uma forma ótima e é cativante para o público, e eu amo historia com mulheres como protagonista, elas que foram renegadas por grande parte da historia da humanidade, e as reflexões que o texto faz pode ser contada em qualquer parte da historia, pois sempre serão muito importante para todos. É sem dúvida um dos meus textos favoritos do blog.
    Gênero textual: Conto
    aluno: Jadson 7 ano C

  13. Sophia disse:

    Título: Verde e Laranja
    Gênero do Texto: Conto
    Aluna: Sophia Lima Coêlho (8c)
    Comentário: Muito bom texto, ele tem uma grande reflexão que precisa ser feita hoje em dia. Embora tenha melhorado bastante em comparação ao passado, as mulheres infelizmente ainda são subestimadas e dizem que são incapazes de fazer certas coisas.
    Além de discutir o assunto de forma tão excelente, o jeito que descrevem a localização e as características dos personagens também são tão mágicas que podemos imaginar o mundo de uma forma tão magnífica!

  14. felipe crispim de lima disse:

    o texto traz uma reflexão sobre as mulheres e do jeito que muita gente subestima as mulheres ainda hoje.
    aluno: felipe crispim de lima

  15. josephraullimaoliveira disse:

    Texto: Empoderamento feminino
    Aluno: Joseph
    Turma: 9B
    Achei interessante porque o texto relata o que as mulheres enfrentam diariamente na busca pelos seus direitos

  16. Lorrayne Brasche disse:

    Título: Empoderamento feminino
    A forma como a autora descreveu os reinos e os personagens, e muito interessante. A história representa muito bem a realidade, onde sempre duvidam da capacidade e força das mulheres, vistas como ingênuas.
    Gênero: Conto
    Lorrayne Victoria Mota Brasche- 9C

  17. Eloara dos Santos Sousa disse:

    a história é muito boa pois falar sobre o que nós mulheres passamos um pouco sobre nós né mulheres fala sobre uma menina mainha doce gentil eu sofro muito por você uma mulher uma menina tem um problema que existe até hoje
    Aluna Eloara 6 B

  18. Isaac Freire disse:

    Aluno: Isaac Freire
    Turma: 9-A
    Gênero: conto
    O texto aborda um tema muito interessante, que é o empoderamento feminino, e se passa numa época onde as mulheres eram muito subjugadas e a forma como a autora retrata isso é de uma maturidade muito grande, e as situações pelas quais a rainha passa mostra muito sobre a personalidade forte dela e a grande capacidade de administrar um reino.

  19. Sara Bum do nascimento França disse:

    1- Empoderamento feminino
    2- Essa história reflete bem a realidade, sempre duvidam das habilidades e da força das mulheres e são consideradas muitas vezes ingênuas. Porém, podemos fazer melhor do que os homens. Apesar de ser um conto tem uma característica de trazer uma crítica.
    3- gênero: conto
    4- sara bum do nascimento França, 9anoB

  20. B_Tarcila disse:

    Título: Verde e Laranja
    O texto aborda sobre como as mulheres ainda são menosprezadas, como ainda existem pessoas que acham que os homens são superiores as mulheres, o que como mostra o texto, não é bem a realidade, mulheres são sim capazes de fazer as mesmas coisas que os homens, algumas vezes até melhor.
    Gênero: conto
    Tarcila Alícia de Moraes Brasil 9°ano B

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s