Texto de memórias Literárias da aluna Thaís Oliveira

 

Minhas memórias, minha vida

Como era boa a liberdade que tínhamos aqui! Brincávamos na rua, dormíamos com as janelas e portas abertas. Mas tudo tem a sua consequência, pois antigamente não havia água tratada, eu, como irmã mais velha, tinha que pegar água no poço. Ah, Como era cansativo! Eu tinha que pegar água de manhã, de tarde e a noite. Aquela água era usada em tudo,para tomarmos banho, cozinhar, lavar as roupas e tudo  que fosse necessário. Não sei como, mas nunca ninguém pegou doenças com esta forma de utilização da água. Hoje em dia está tudo maravilhoso; tem água em todo lugar. Isto é ótimo, pois não temos mais que sofrer carregando latas e mais latas d’água na cabeça para abastecer a casa. 

Até hoje fico muito triste em lembrar do dia que meu pai foi pescar e nunca mais voltou. Concluímos que ele havia falecido. Imagine só, a minha mãe era doméstica e ganhava pouco; como iria conseguir manter seis filhos?! Enquanto ela se matava de trabalhar nas casas dos outros, eu ficava na nossa casa e tinha que arrumar, cozinhar e cuidar dos meus irmãos. Nós passamos um pouco de dificuldade, assim… Nós não tínhamos comida em abundância, mas tínhamos o que comer. Sempre arranjávamos. A nossa situação só foi melhorar quando a minha mãe arranjou um trabalho no serviço público.

Eu sonhava em ser professora, aliás, era a única profissão permitida na época para mulheres. Nós usávamos vestido franzido ou saia grande e rodadas. Como fazia calor! Algumas vezes, eu ia para escola  em carro de boi, em outras andando. Naquela época existia um carro que chamávamos de  Gip, porém  era só para “gente rica”. Sempre fui muito estudiosa, só tinha um pouco de dificuldade em português. Nossa, Como sinto saudades das minhas amigas!Toda essas lembranças me tornam saudosa. 

Como eu achava, que poderia fazer tudo o que eu quisesse quando me casasse, apressei-me e tornei isso realidade o mais rápido possível. Casei muito cedo; aos 15 aninhos eu já estava casada, e com 16 anos  tive o meu primeiro filho. O meu marido nem me deixava visitar a minha mãe. Eu era muito apegada a ela. O casamento não foi tão fácil assim, nem sempre fazia tudo que eu queria. Por isso, esse foi apenas o primeiro dos quatro  casamentos que tive. Bons frutos colhi, me deram sete maravilhosos filhos, frutos desses meus  quatro casamentos. Ah, amo eu os amo! Analisando tudo que vivi me considero uma pessoa feliz e realizada.

        

                                                                                                                                                         (Texto escrito pela aluna Thaís Oliveira, baseado na entrevista feita com a Senhora Zuleide Reis de Carvalho, do Viva Melhor Idade)

 

 

Sobre elianedmelo2

Professora de Língua Portuguesa com mestrado em Ciências da Educação. Nascida em 7 de julho, em Campos dos Goytacazes,Rio de Janeiro. Atualmente, morando em Roraima.Diretora do CEFORR ( Centro Estadual de Formação dos profissionais da Educação) em 2015, 2016,2017, Consultora técnica da UNIVIRR ( Universidade Virtual de Roraima) em 2017 e 2018. Atualmente, professora de língua portuguesa no Colégio Militar Estadual Cel. PM Derly Luiz Vieira Borges.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

85 respostas para Texto de memórias Literárias da aluna Thaís Oliveira

  1. Esse texto é bem reflexivo.
    gostei.
    Há um erro no emprego do “mas” em: “tínhamos comida em abundância, mais tínhamos o que comer.”

  2. elianedmelo2 disse:

    Obrigada , Brendo! Abraços.

  3. Andrade disse:

    Bom dia, escolhi o texto pelo fato da curiosidade de saber que era muito interessante como as crianças podiam brincar fora de casa sem o pais terem um peso na consciência de eles se machucarem, roubados e até incrivelmente estuprados, o que demonstra a segurança, o texto vem a informar como era antigamente.., todavia que sempre a um lado ruim, com toda essa tecnologia temos uma facilidade maior. O problema destacado foi a encanação o fato de ter a busca de água feita por lata.O texto faz passar que na água era limpa, que na minha visão, não apresentava poluição, assim não havia risco de doenças como apresenta a personagem.
    O texto mostra que a mulher não tinha muitos direitos ficando solteira. A menina demonstra que quer logo se casar para ter uma liberdade maior, assim fica em quatro casamento não foi como esperado por que a liberdade foi cortada já que no primeiro casamento foi impedida de ver sua mãe e até achar o certo homem teve sete filhos e se mostra feliz com o resultado.

  4. Vitória Barbosa Costa de Magalhães disse:

    Aluna Vitória Barbosa Costa de Magalhães do 9º ano B
    Li o texto “Minhas memórias, minha vida” de Thaís Oliveira. Adorei a forma como a autora se expressa e como a linguagem é clara. É interessante como essa é uma realidade bem diferente da minha e como as coisas mudaram, é possível perceber como toda mudança tem seu lado positivo e negativo. Enquanto o casamento precoce e a falta de abastecimento de água melhoraram com o passar do tempo, infelizmente, os lugares ficaram mais perigosos tirando a liberdade das pessoas.

  5. P3DR0K Joga disse:

    Texto legal, gosto muito deste tipo de texto sobre a vida duma pessoa.
    Adorei.
    Como Brendo Vieira Santos falou tem mesmo alguns erros, eu percebi isto quando vi a palavra “Gip” em vez de “Jeep”, porém tirando estes detalhes 100%!
    Mas fiquei um pouco confuso com o fato dela se casar com 15 anos, mas era época antiga, em época antiga com 2 anos à mais que eu meu pai não andava a pé, nem de bike, mas sim de carro com meu avô, será que viver naquela época era boa?

  6. Clarice disse:

    Muito bom o texto, era gostoso de ler. Teve somente um pequeno erro de português, porém isso não interferiu na compreensão do texto.

  7. maria julia carneiro disse:

    percebi um errinho mas ok…gostei professora,aliás é quase a mesma história da minha mãe porque minha mãe ficou gravida de mim com 16 anos e casou com meu pai com 18 mas eles sempre foram felizes..amei professora.

  8. Gabriela Araujo Costa disse:

    TEXTO DE MEMÓRIAS LITERÁRIAS DA ALUNA THAÍS OLIVEIRA

    Oi, professora,

    Sou a aluna Gabriela Araújo Costa, do 6º A (CME).
    Gostei desse texto, pois me faz lembrar muito das histórias que meu pai contava da infância dele aqui em Boa Vista, ainda nos anos de 1970.
    Ele (meu pai) conta como era difícil a vida deles.
    Minha avó lavava roupa para ajudar no orçamento da casa, já o meu avô era pedreiro.
    Meu pai conta que algumas vezes ia para o rio ajudar a lavar e estender roupas e, outras vezes, ia ajudar meu avô, como um ajudante de pedreiro.
    Mesmo sem estudo, meu avô fez com que todos os filhos estudassem.
    Hoje, meu pai e seus dois irmãos são formados e possuem vários outros cursos.
    Isso enche o coração de meus avós de orgulho e alegria em sua velhice.
    Obrigada por compartilhar esse texto tão lindo, que mostra a vida de uma pessoa de antigamente, e também suas dificuldades como mulher e como uma pessoa de baixa renda.

  9. Ana Carolina disse:

    Al: Ana Kovalski 6A
    Achei o texto muito interessante pois conta sobre uma menina que estava falando da mudanças que ocorreram do tempo que ela viveu antigamente até hj.

  10. vinicius dos anjos disse:

    oi professora
    bem analisando esse texto pude compreender que e uma mulher contado um polco sobre sua vida ela conta sobre sua infancia e a compara com sua vida atual ela diz que mesmo sendo ruim ela se divertia mesmo com imprevistos sendo bons ou ruins
    com esse texto pode analisar que ela e uma mulher que não se deixa abalar exemplo quando seu pai sumiu, atual mente ela si considera uma mulher realizada e completa tendo sete filhos
    grassas a este texto pode perceber que mesmo os momentos bons duram pouco isso vale o mesmo para momentos ruins e tudo sempre pode melhorar.

  11. sofia queiroz disse:

    O texto retrata a vida humilde e batalhadora da personagem principal Zuleide Reis de Carvalho, ela cita que sempre teve pouco mas teve. Ela sempre sonhou em ser professora disse que na época era a única profissão permitida para mulheres, agora as coisas mudaram e para melhor. Ela se casou cedo achando que iria ter mais liberdade e oportunidades casada (pensamento de muitas mulheres) aos 15 já estava casada e aos 16 grávida de seu primeiro filho. Seu casamento não foi tão bom assim teve outros 6 filhos e 3 casamentos no total 4 casamentos e 7 filhos. A história é bonita e muito comovente recomendo.
    Sofia Queiroz 8c

  12. Andrade disse:

    TEXTO DE MEMÓRIAS LITERÁRIAS DA ALUNA THAÍS OLIVEIRA

    O livro demostra como a vida antigamente era muito difícil, principalmente em relação a tecnologia e as mulheres, em foi apontado que as pessoas tinham de levar água em latas mas agora com avanço tecnológico tem água em todo o lugar , em relação as mulheres também foi muito difícil pois tinham poucos direitos e por isso a personagem tinha a ideia de se casar para poder cumprir seus sonhos e assim se casou quatro vezes e teve 7 filhos e se demonstrou feliz com isso, imagino eu que a existência de anti concepcionais não existia pelo quantitativo de filhos. Porém, com todas as imperfeições tinha uma segurança melhor e seu filhos podia ficar brincando na rua sem preocupação. Essa foi minha opinião do texto.

  13. Bruna Menezes disse:

    TEXTO DE MEMÓRIAS LITERÁRIAS DA ALUNA THAÍS OLIVEIRA

    Gostei bastante desse texto, pois ele nos faz refletir principalmente sobre a situação das mulheres antigamente comparado aos dias atuais, pois como podemos notar, as mulheres não tinham muitos direitos e tinham somente uma escolha de profissão, porém, apesar disso, sempre tiveram força de vontade. Como citado no texto, a mãe da Senhora Zuleide, mesmo divorciada, ganhando pouco e tendo que manter seis filhos, nunca desistiu, assim como sua filha que atualmente se sente totalmente feliz e realizada.
    Bruna Menezes Ferreira 9°A (CME)

  14. Bruna Menezes disse:

    TEXTO DE MEMÓRIAS LITERÁRIAS DA ALUNA THAÍS OLIVEIRA

    Gostei bastante desse texto, pois ele nos faz refletir principalmente sobre a situação das mulheres antigamente comparado aos dias atuais, pois como podemos notar, as mulheres não tinham muitos direitos, só tinham uma escolha de profissão, porém, apesar disso, sempre tiveram força de vontade. Como citado no texto, a mãe da Senhora Zuleide, mesmo divorciada, ganhando pouco e tendo que manter seis filhos, nunca desistiu, assim como sua filha, que atualmente se sente totalmente feliz e realizada.
    Bruna Menezes Ferreira 9°A (CME)

  15. Allana Costa disse:

    O texto conta sobre a vida de Zuleide Reis de Carvalho, de como antigamente haviam muitas dificuldades, como por exemplo a água, que atualmente temos facilidade de encontrar na maioria dos lugares e antes as pessoas tinham de buscar em poços, carregando em baldes e latas, e a utilizava para tudo, tendo em vista de que ela não era tratada, corriam grandes riscos de pegarem doenças. Esse texto me fez lembrar da minha avó, uma mulher batalhadora que sofreu bastantes dificuldades, sempre teve uma vida muito humilde, admiro muito aquela mulher, é uma mãe e avó maravilhosa.

  16. Vítor Mussato disse:

    Boa noite, professora
    O texto relata as lembranças de uma mulher que, inicialmente, vivia em situações precárias por ser pobre. Além disso, ela relata que compartilhava esses momentos de sofrimento com seus irmãos e mãe, já que o pai acabara por falecer. Ela cita sobre seu desejo de ser professora, que era a única profissão “feminina” na época, e como, após tudo que passou, se sentia realizada e satisfeita.
    Vítor Mussato 9°A

  17. DANIEL SILVA - 7D - CME PMRR disse:

    Minhas memórias minha vida

    Sou o Aluno Daniel Silva do 7 D CME PMRR

    Comentarios: o texto demonstra as dificuldades das pessoas terem acesso a água encanada, devido às condições financeiras. Com isso, a entrevistada achou que através do casamento ela fosse ter mais liberdade, e, no entanto, não aconteceu como ela pensava, acabou se separando e casando 4 vezes.

    Vemos que as condiçôes de vida na época da infância e juventude da entrevistada era muito precária, faltava água encanada, o pai faleceu e mãe por ter que trabalhar fora para sustentar os filhos, a responsabilidade para cuidar dos seus irmãos ficou para entrevistada. Ao completar quinze anos, ela achou que teria mais liberdade casando, porém, não teve a liberdade esperada, casou e separou-se por quatro vezes, mesmo assim ele se sente feliz pela vida que teve.

    Devemos agradecer por termos condições e estrutura bem melhores que na época dessa senhora, não sei como conseguiria sobreviver se não tivesse água em casa, a dificuldade seria imensa.

  18. yoranna disse:

    *MEMORIAS LITERÁRIAS DA ALUNA THAIS OLIVEIRA*
    O texto conta sobre sua vida no passado e como as condições que vivia eram ruins, pois comparado a hoje em dia podemos dizer que fomos para a melhor, ela conta como teve pouco, mas teve. Ela cita que se casou muito nova pois assim ela achava que teria a “liberdade”, além de se casar tão cedo teve um filho aos 16, seu sonho era se tornar professora e que essa era a única profissao que as mulheres podiam ter. Apesar de todas as coisas ruins pela a qual passou ela afima estar relaizada. Assim podemos ver que devemos dar valor nas coisas que temos, sem reclamar. Eu particularmente achei ela bastante batalhadora e pela forma que ela conta sua história parece não estar arrependida de nada, o que me tocou bastante.

    Yoranna 7°A

  19. Isabela Corrêa disse:

    O texto me faz refletir sobre como era a vida de alguma pessoas antigamente e que por mais que fosse difícil elas continuavam de pé. O texto também me lembrou de uma história que meu pai me contou sobre sua infância, quando ele ia a um mercantil próximo à sua casa onde comprava ovos pelo menos três vezes ao dia por serem pobres. E também me lembrou que por mais que as coisas sejam difíceis devemos continuar porque Deus não nos faria passar por isso se não fosse para nos fortalecer.

  20. Liandra Tamylis disse:

    Aluna Liandra Tamylis 6º D

    Texto de Memória Literária da Auna Thais Oliveira, faz relatos muito triste de uma criança que teve uma infância muito difícil se tornou uma adulta no corpo, pois tinhas responsabilidades que não eram de criança. Passava fome, necessidades mais tinha em seu coração o sonho de ser Professora.

  21. Kim Dahee disse:

    TEXTO DE MEMÓRIAS LITERÁRIAS DA ALUNA THAÍS OLIVEIRA

    Boa noite, professora.

    Este texto me fez ter memórias incríveis de quando meu pai me contava às histórias de quando ele era pequeno, no Cabo de Santo Agostinho (Em Pernambuco). Ele teve uma vida difícil, ás vezes ele a família passavam fome e tinham que comer banana verde todos os dias, mesmo assim ele conseguiu estudar e eu como sua filha tenho muito orgulho dele. Eu tive uma percepção ótima do texto, vi como a Zuleide Reis de Carvalho (personagem retratada no texto) foi uma mulher trabalhadora, mesmo tendo uma vida precária e humilde vemos que ela ficou feliz de relembrar de todas essas lembranças. Podemos ver também no texto como a vida de antigamente era diferente, por exemplo, a única opção de emprego para ás mulheres era serem professoras.

    Esta foi minha percepção, ALUNA CME: EDUARDA BARROS (7º B)

  22. TEXTO DE MEMÓRIAS LITERÁRIAS DA ALUNA THAÍS OLIVEIRA

    oi, professora
    Bom eu sou um aluno do 9-A(cme)
    Venho a lhe parabenizar por este texto incrível no qual revela sua infância que de certa forma não foi das melhores porem a senhora conseguiu da a volta por cima e ter vários filhos e um emprego no qual sempre sonhou parabéns professora.

  23. Leila Araujo Lopes disse:

    Olá Professora,

    Sou o Al. César Lopes do 6º A. O texto mostra que a vida não é fácil, pois devemos correr atrás dos nossos sonhos para que sejamos felizes, mesmo que não saia como pensamos e que teremos lembranças boas e ruins e que nunca devemos desistir e tentar quantas vezes for preciso. A personagem no texto sempre sonhou em ser professora.

  24. João Antônio Nobles disse:

    Al CME Nobles 6°B
    Achei muito legal esse texto ele fala sobre uma menina que tinha dificuldades no passado como : acesso à água, dificuldade financeira e alimentar. Isso ainda existe muito nos dias atuais e e me deixa um pouco triste

  25. Clara Santos disse:

    TEXTO DE MEMÓRIAS LITERÁRIAS DA ALUNA THAÍS OLIVEIRA
    O texto retrata como era a vida da aluna Thaís Oliveira antigamente, na qual ela fala sobre as coisas boas, como por exemplo a liberdade, as amizades e os casamentos, que geraram 7 filhos que ela ama muito. Mas também haviam coisas ruins, como a responsabilidade de cuidar dos irmãos, abastecer a casa e a situação financeira.
    Depois de tudo o que Thaís passou, ela se considera uma pessoa feliz e realizada.

  26. luis oliveira 7b cmepmrr disse:

    LUIS OLIVEIRA 7B CMEPMRR
    Texto de memórias Literárias da aluna Thaís Oliveira
    Naquela época existia um carro que chamávamos de Gip, porém era só para “gente rica”.

  27. al cm Gabriel Carvlho 9 ano D
    o texto e bem interessante pois retrata a vida miseravel de uma mulher que nao se deixou derrubar pelos obstaculos e desafios da vida,mas sempre seguiu em frente,e se orgulha das coisas que viveu

  28. Hanya jácome disse:

    sou a Hanya do 7B
    com esse texto você pode refletir e comparar as mulheres de hoje em di com essa mulher .
    co 15 anos a maioria das meninas de hoje em dia nem pensam em trabalhar, ma essa mulher foi forte e uma otima mulher

  29. Micael Antônio disse:

    Olá professora aluno Micael Antônio do 8C,esse texto é muito bom,pois trata muito bem a diferença de épocas,como dizia o texto as pessoas não tinham água tratada tinha que buscar em poços,hoje em dia isso não ocorre mais as pessoas tem água em sua própria casa e hoje em dia também, não podemos dormir de portas e janelas abertas pois hoje a violência é muito maior

  30. GABRIEL BRANDÃO 8B disse:

    AL CME GABRIEL BRANDÃO – 8B
    Texto: “Minhas memórias, minha vidade” da aluna Thaís Oliveira

    Bem, o texto retrata a vida um pouco sofrida de uma família onde uma filha tinha que ajudar a sua mãe a cuidar de seus irmãos, mas que também ela pretendia se casar logo na intenção de “mudar de vida”….casou cedo aos 15 anos e aos 16 já era mãe. Tempo passou e ela percebeu que não era tão fácil, pois não podia fazer o queria…como pensava. Casou mais 3 vezes e teve 7 filhos a quem os ama. Meu pai diz que antigamente as coisas eram assim….minha avó teve suas dificuldades também e mesmo sem condições econômicas criou seus filhos que hoje estão todos “formados”…um orgulho para a mãe…uma pessoa que não teve tempo e nem condições de frequentar uma sala de aula…mas estava orgulhosa de poder ter formado seus filhos.

  31. Genivaldo Brandão disse:

    AL CME GABRIEL BRANDÃO – 8B
    Texto: “Minhas memórias, minha vidade” da aluna Thaís Oliveira
    Bem, o texto retrata a vida um pouco sofrida de uma família onde uma filha tinha que ajudar a sua mãe a cuidar de seus irmãos, mas que também ela pretendia se casar logo na intenção de “mudar de vida”….casou cedo aos 15 anos e aos 16 já era mãe. Tempo passou e ela percebeu que não era tão fácil, pois não podia fazer o queria…como pensava. Casou mais 3 vezes e teve 7 filhos a quem os ama. Meu pai diz que antigamente as coisas eram assim….minha avó teve suas dificuldades também e mesmo sem condições econômicas criou seus filhos que hoje estão todos “formados”…um orgulho para a mãe…uma pessoa que não teve tempo e nem condições de frequentar uma sala de aula…mas estava orgulhosa de poder ter formado seus filhos.

  32. Maria Clara Albuquerque Da Fonseca disse:

    AL CME Clara Fonseca – 9º ANO

    O texto: Memórias literárias da aluna Thais Oliveira é bem interessante, reflexivo, modesto e humilde. Gosto da visão da autora onde ela deixa transparecer o quão valiosa é sua vida, que mesmo com as dificuldades, ela agradece e é feliz. Admiro também a maneira que ela expressa seu sentimentos com as palavras. Seu texto me faz pensar em coisas que muitas vezes não me deparo no dia a dia, as pequenas coisas, que são mais preciosas.
    Quando é dito ´´Hoje em dia esta tudo maravilhoso, tem água em todo o lugar“, fez ver que certas vezes esquecemos o quanto algumas coisas são importantes em nosso cotidiano . Neste trecho a água é o exemplo, uma das maravilhosas coisas que atualmente se pode ter e que ne sempre damos a necessário valor.
    Acabamos tão estressados e preocupados com a correria da vida que acabamos deixando passar momentos e experiencias.

  33. Maria Clara Albuquerque Da Fonseca disse:

    AL CME CLARA FONSECA – 9º ´´C“
    O texto de memórias literárias da aluna Thais Oliveira é bem interessante, um texto reflexivo, modesto e humilde Gosto da visão da autora, mostra o quão valiosa é para ela, sua vida. Que mesmo com todas as dificuldades, ela agradece e é feliz. Admiro também a maneira que ela expressa seus sentimentos usando as palavras.
    Seu texto me fez pensar em coisas que no dia a dia não deparo, as pequenas coisas, que são as mais preciosas. Quando é dito ´´[…] Hoje em dia está tudo maravilhoso; tem água em todo lugar […]“, me fez refletir, que as vezes esquecemos o quanto certas coisas são importantes no nosso cotidiano. E a água neste caso é um exemplo, uma das maravilhosas coisas que temos a oportunidade de ter e que nem sempre sabemos valorizar. Estamos tão preocupados e estressados que deixamos passar certos momentos e experiencias importantes!

  34. Gabriella Chagas 9D disse:

    Gabriella Chagas, 9 ano D
    Analisando esse texto pude compreender que e uma mulher contado um pouco sobre sua vida ela conta sobre sua infância e faz uma comparação com sua vida atual, mostrando tanto as partes boas e ruins pelo seu ponto de vista e que independente das mudanças que ocorreram no passar dos anos a vida dela foi boa.

  35. LUCAS GABRIEL VIEIRA DA COSTA disse:

    AL:LUCAS GABRIEL,8 ANO D
    O texto fala de uma menina que passou por muitas necessidades na infância mas ela não baixou a cabeça e nunca deixou de acreditar no seu sonho, e hoje ela se orgulha das coisas que viveu

  36. Rwllyanna disse:

    Olá professora, gostei muito desse texto pois retrata a vida de uma mulher que mesmo em condições não tão favoráveis conseguiu dar a volta por cima e continuar assistindo em seus objetivos.
    ( Rwllyanna, 9° ano C)

  37. Rwllyanna disse:

    Persistindo**

  38. Rílary Gisele O. Herênio disse:

    TEXTO DE MEMÓRIAS LITERÁRIAS DA ALUNA THAÍS OLIVEIRA.
    O texto relata uma história muito interessante, foram muitas as dificuldades que a escritora passou, a partir da morte do pai quando teve que ajudar mais a sua mãe, ela amadureceu mais cedo pois precisava fazer coisas que não tinha a obrigação como criança. Com isso percebemos que ela não aproveitou bem a sua infância.E além das suas dificuldades familiares, também não teve muita opção de emprego, pelo simples fato de ser mulher.
    Mas mesmo passando por tudo isso ela se considera feliz e privilegiada, em meio de tanto caos ela enxergou o lado bom de sua vida.
    Aluna: Rílary Herênio 9°C.

  39. sarahssvv disse:

    Achei o texto bastante interessante, pois me faz pensar muito nas dificuldades que as pessoas passavam antigamente que não chegam nem aos pés do que passamos atualmente. Também me faz lembrar da minha mãe que tinha uma vida bastante parecida com essa, principalmente na parte onde ela diz que ser professora era a única profissão permitida para as mulheres na época, o que me faz refletir ainda mais.

  40. Ponciano 7° ano D disse:

    al cme Ponciano 7° D,

    Eu achei esse texto bem reflexivo sobre como nos evoluímos. Esse texto conta de como eram as experiências e sonhos que ela teve na sua infância, adolescência e já em sua vida adulta.
    Ela enfrentou diversas dificuldades, não era fácil a sua vida, mas, conseguiu enfrentar tudo! E hoje em dia, se orgulha e sente saudade de muitas coisas que ficaram para trás.

  41. Jamilly Souza disse:

    9ºD
    O texto mostra uma reflexão o que é bem interessante pois nos mostra a vida de uma pessoa que passou por vários obstáculos na vida mas não deixou se levar por eles, e mesmo com tantos obstáculos ela conseguia ser uma mulher feliz com seus 7 filhos que amava tanto

  42. Ana Moura disse:

    AL CME Ana Moura – 8º Ano A
    Gostei muito do texto. Nele pude viajar nas lembranças da senhora Zuleide. Na história, dona Zuleide relembrar a sua infância difícil, mas que nunca a fez deixar de sonhar e de sempre buscar a felicidade.

  43. João Victor Bezerra Conde disse:

    Este pequeno texto mostra a vida de uma mulher, que sentia saudades de sua vida como criança, de como as coisas eram relativamente mais fáceis quando era menor, ela se casou cedo, passou por dificuldades. No final ela se considerou uma pessoa feliz e realizada, se contentou com tudo que ela viveu e presenciou.

  44. Henrique Rodrigues da Mata disse:

    Achei o texto triste, interessante e reflexivo, pois dá pra se perceber que a época que ela estava vivendo era muito difícil e as pessoas quase não tinham direitos. Fora isso tem as questões de erro de ortografia e erros de português.
    Henrique Rodrigues da Mata 8A

  45. Henrique Rodrigues da Mata disse:

    Ainda sim é um bom texto

  46. Bruno Richard Pinho Oliveira disse:

    Esse texto, “Minhas memórias, minha vida”, traz reflexões de como era difícil a vida nos tempos de nossos pais e avós. Onde eles tinham que desde pequenos trabalhar ou ajudar nas contas ou atividades de casa. A autora do texto, Thaís Oliveira, mostra de que apesar de tantas dificuldades que viveu na infância e na adolescência, devemos ser fortes e sempre buscarmos a felicidade, aprendendo com tudo que vivemos.

    AL CME RICHARD 9° A

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s