Texto da aluna Suzani Mesquita Baia. 8º ano.

Brincando com uma lata de sardinha

 Cheguei aqui em Boa Vista no ano de 1953; as primeiras escolas em que eu estudei foram no colégio das madres, e Lobo D’Almada, acho que eu tinha uns 10 anos.

Meu pai era agricultor, um homem bom que apesar de nossas dificuldades, que não eram poucas, era um homem de bem e feliz, até hoje não sabemos de que ele faleceu! Saiu de casa para pescar como fazia sempre e sumiu. Muitos dizem que ele se afogou outros dizem que ele faleceu de infarto, mas ninguém sabe o certo. Quando minha mãe ficou sabendo entrou em desespero como ela iria cuidar de seus 9 filhos contando comigo e ainda se matar de trabalhar, foi uma aflição só!

Depois daí, larguei meus estudos e comecei a cuidar dos meus irmãos já que eu era a irmã mais velha esse era o meu dever! Mais com isso tive que me desfazer do meu sonho de ser professora. Minha matéria preferida era Matemática e a que mais tinha dificuldade era Português.

Naquela época, uma das coisas que eu mais gostava era criar galinhas e brincar com a lata de sardinha… Eu pegava a lata fazia um buraquinho, colocava uma linha e puxava como se fosse um carrinho. Ah, isso era uma diversão! Eu passava a noite inteira brincando, mas quando dava exatamente 22h30min minha mãe gritava: ZULEIDE!!! Eu já pensava meu Deus, minha mãe! Eu saia correndo num desespero muito grande para ver o que ela queria.

Uma das coisas que eu mais sinto falta da minha época é minha LIBERDADE. Antes eu podia sair; ficava até tarde da noite na rua. Comparando com hoje em dia, não dá nem para ir à esquina! Minha infância era tão boa, mesmo com muitas dificuldades eu era feliz. Hoje com 68 anos eu sou uma pessoa feliz e alegre.

(Texto baseado na entrevista feita com senhora Zuleide do Viva Melhor Idade)

Sobre elianedmelo2

Professora de Língua Portuguesa com mestrado em Ciências da Educação. Nascida em 7 de julho, em Campos dos Goytacazes,Rio de Janeiro. Atualmente, morando em Roraima.Diretora do CEFORR ( Centro Estadual de Formação dos profissionais da Educação) em 2015, 2016,2017, Consultora técnica da UNIVIRR ( Universidade Virtual de Roraima) em 2017 e 2018. Atualmente, professora de língua portuguesa no Colégio Militar Estadual Cel. PM Derly Luiz Vieira Borges.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

9 respostas para Texto da aluna Suzani Mesquita Baia. 8º ano.

  1. Sabrina gabriele Lucena pinheiro disse:

    Sabrina 6 ano C

    Achei o texto maravilhoso, achei também interessante o fato de que naquela época podia ficar tarde da noite e hoje em dia raramente podemos ficar de manhã cedo na rua

  2. kalinebeatriz disse:

    Texto da aluna Suzani Mesquita Baia. 8º ano.
    Brincando com uma lata de sardinha

    É bom saber como era a vida antigamente e triste lembrar que só podemos descobrir por historias. Mesmo com 14 anos, ainda sinto falta de correr com 7 anos pelas ruas da minha casa, sem ter que me preocupar com os perigos que podem acontecer.
    Eu nem imaginava que a Escola Lobo D’Almada era antiga assim, já que é uma escola bem próxima do meu dia a dia e nunca parei pra pensar.
    Eu senti bastante os sentimentos transmitidos pelo texto. Me fez pensar e enfatizar que é importante valorizar nossa vida, mesmo com obstáculos, pois ela passa muito rápido. Valorizar o que temos e as nossas oportunidades também é um fato importante, pois o que eu tenho de normal, pode ser de luxo pra alguém, como poder estudar.
    Gostei muito da escrita e da historia emocionante e me deu muita vontade de saber um pouco mais.

    KALINE BEATRIZ S . SAHDO – 9 A CMEPM RR

  3. Laura Maurmann disse:

    Texto da aluna Suzani MesquitaBaia . 8º ano
    É triste saber que não podemos brincar nas ruas como nossos pais faziam . Antes as crianças brincavam na rua agora estas brincadeiras foram substituídas por jogos nos aparelhos eletrônicos e pela televisão

    Laura Maurmann – 6 A CMEPM RR

  4. Leticia Braga disse:

    Brincando com uma lata de sardinha
    Sobre um texto, ele nos faz refletir sobre a realidade de hoje, nós não podemos mais sair de casa para brincar á noite por que corremos perigo de vida, nós não brincamos como era antigamente, amarelinha e pega-pega, hoje em dia o foco esta mais nos celulares e jogos . Nos faz refletir que temos que valorizar nossa vida e as pessoas que participam dela, por que tudo passa muito rápido e no fim só restam lembranças.
    biografia
    Leticia BRAGA da silva, 8 ano B

  5. Grazielly Reis disse:

    texto lido: Brincando uma lata de sardinha
    Gênero: relato pessoal
    Grazielly Reis 9°B

    O texto fala de uma moça que mudou-se para boa vista a muito tempo, e que de forma misteriosa perdeu o pai quando ele saiu para pescar. Ela então parou os estudos para ajudar a mãe a cuidar dos irmãos.
    Achei o texto bem triste no começo, pela forma que a moça perdeu o pai. E tbm achei muito emocionante essa história de vida.

  6. Mabbie disse:

    Texto da aluna Suzani Mesquita Baia. 8º ano.
    Brincando com uma lata de sardinha

    Eu achei um texto muito interessante, apesar de saber que a senhora Zuleide teve que deixar o seu sonho de lado para cuidar dos irmãos por causa de uma tragédia como a morte do pai, esse texto também mostra como era antigamente quando os nossos familiares podiam brincar na rua sem se preocupar, acho legal o fato dela ter 8 irmãos, eu não tenho nenhum quem dirá 8, mais acho que isso era normal antigamente, hoje em dia a minha avó tem 60 anos e ela tem 13 irmãos, infelizmente 7 deles já faleceram (não sei como).

    MABBIE Gabriele Carvalho Maciel, 7 ano C

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s